Textos

O QUE SÃO DROGAS
Droga é toda e qualquer substância, natural ou sintética que, introduzida no organismo modifica suas funções. As drogas naturais são obtidas através de determinadas plantas, de animais e de alguns minerais. Exemplo à cafeína (do café), a nicotina (presente no tabaco), o ópio (na papoula) e o THC tetrahidrocanabiol (da maconha). As drogas sintéticas são fabricadas em laboratório, exigindo para isso técnicas especiais.

O termo droga presta-se  a várias interpretações, mas comumente suscita a ideia de uma substância proibida, de uso ilegal e nocivo ao indivíduo, modificando as funções, as sensações, o humor e o comportamento.

Todas as drogas têm em comum a capacidade de alterar o estado mental do usuário, seja proporcionando uma sensação de prazer e conforto ou reduzindo a timidez e aumentando a sociabilidade de quem a usa. Em geral, todas também causam dependência química e psicológica, transformando o usuário ocasional em viciado, que acaba dependendo do consumo da droga para manter suas atividades normais.

CLASSIFICAÇÃO
Assim, para entender a ação das drogas no Sistema Nervoso Central é necessário compreender como as drogas alteram o processo de neurotransmissão:

1. DROGAS DEPRESSORAS DO SNC – Exemplos: álcool, inalantes, medicamentos tranquilizantes, neurolépticos, opiáceos e ansiolíticos. Estas substâncias interferem na síntese dos neurotransmissores, diminuindo sua concentração nos terminais nervosos e a quantidade liberada pelo impulso nervoso. Algumas delas bloqueiam a captação do neurotransmissor pelas vesículas sinápticas e, em consequência, essas vesículas ficam total ou parcialmente vazias, liberando menos neurotransmissor à chegada do impulso nervoso. Nesses casos, os efeitos do neurotransmissor estão diminuídos porque cai sua concentração na fenda sináptica, em contato com os receptores.

2. DROGAS ESTIMULANTES DO SNC – Exemplos: cocaína, anfetaminas, efedrinas, dentre outras. Estas substâncias bloqueiam a reabsorção ou captação da dopamina nos terminais sinápticos, aumentando a produção dessa substância na fenda sináptica. O efeito é o estímulo do SNC.

3. DROGAS PERTURBADORAS DO SNC – Exemplos: Maconha, LSD, cogumelos alucinógenos, dentre outras. Estas substâncias agem nas vesículas sinápticas na área límbica, aglomerando-as, interferindo nas mensagens, e os espaços ou fendas sinápticas nessas células são bem mais amplos do que nas células normais,inclusive cheios de matéria, o que faz dificultar ou retardar a transmissão da mensagem na célula nervosa.

CONSEQUENCIAS

As drogas agem intoxicando os neurônios e provocando várias consequências, tais como:

1. Uso do álcool, tranquilizantes, neurolépticos, ansiolíticos e opiáceos -  diminuem a concentração dos neurotransmissores nos terminais nervosos.
2. Uso de inalantes – (vapores) absorvidos nas gorduras, destroem a mielina e os neurônios não conseguem transmitir as mensagens. A noradrenalina, intoxicada, torna o coração muito sensível. A oxigenação celular é bloqueada se houver modificação no hipocampo.
3. Uso de opiáceos – atuam na base do cérebro bloqueando a tosse e a respiração fica mais lenta. Na espinha dorsal, bloqueiam as mensagens de dor.
4. Uso da cocaína e os moderadores de apetite – bloqueiam a reabsorção da dopaminanos terminais nervosos, aumentando sua concentração na fenda.
5. Uso da nicotina – eleva o nível de produção da dopamina. Sua estrutura liga-se aos receptores da acetilcolina e da dopamina.
6. Uso do MDA e do MDMA – liberam a serotonina, provocando insônia, modificando o humor e aceleração do coração.
7. Uso do PCP (feniciclidina) – bloqueia a ação dos neurotransmissores tornando as pessoas alucinadas e agressivas.
8. Uso da maconha – atua no hipocampo, no sistema límbico interferindo na produção da acetilcolina.
9. Uso dos anabolizantes esteroides – agem no hipotálamo que controla a fome e também no sistema límbico.
Painho
Enviado por Painho em 17/07/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.